Acompanhe neste esquema, a descrição das estruturas descritas no texto

Articulação: o que é isso afinal de contas? – Parte 1

Dor na articulação (ou nas articulações): É a principal queixa que leva o indivíduo a procurar o reumatologista.

A dor articular (ou nas juntas, como preferir) pode envolver uma ou mais partes da própria articulação assim como outras estruturas extra-articulares adjacentes.

Neste artigo procuro esclarecer um pouco as partes componentes das juntas correlacionando-as ás doenças mais comuns. Acompanhe no esquema acima as descrições do texto.  Vamos lá!

 

1- Músculo

Como já é bem sabido, o músculo é o responsável pelos movimentos dos membros. A sua contração e seu relaxamento permitem que os ossos mudem sua posição entre si. A articulação, por sua vez une esses ossos e determinam em que direção os movimentos acontecerão, dependendo do tipo de articulação.

Nas doenças reumáticas, o músculo pode ser diretamente afetado nas miosites ou atrofiar-se indiretamente caso atue sobre uma articulação comprometida.

 

2- Tendão

É o cabo de tração que liga músculos aos ossos. Através dele, a força de contração do músculo é transferida aos ossos gerando o seu deslocamento.

As tendinites, muito comuns por sinal, são inflamações nessas estruturas. Sobrecarga mecânica e excesso de uso são as suas principais causas e cronicamente podem resultar em rupturas totais e parciais. Por isso, o tratamento deve ser feito o mais precocemente possível.

 

3- Entese

É o ponto onde o tendão se fixa ao osso sendo importante ponto de tração. Problemas nas enteses podem ser bastante dolorosos e interferir nas funções cotidianas e na qualidade de vida.

O comprometimento das enteses são comumente relacionados á sobrecarga mecânica assim como em um grupo muito particular de artrite, conhecidas como soronegativas, onde a predileção é pelos membros inferiores.

 

4- Bursa

Nome em latim que significa “bolsa”. É uma estrutura que forma uma cavidade virtual onde pode haver pequena quantidade de líquido.

Serve como coxim protetor para absorção de impacto e/ou tração dos tendões sobre estruturas mais duras como ossos e músculos.

Todo mundo já ouviu falar das bursites, que correspondem á inflamação das bursas. A mais conhecida é de ombro, mas outros locais como coxas, joelhos, cotovelos e nádegas também contém bursas que podem inflamar.

 

5- Ligamento(s)

Importantíssimas estruturas que, como o próprio nome diz, “ligam” dois ossos entre si. São estruturas resilientes que apesar de firmes, têm uma flexibilidade que permite o movimento natural da articulação.

Embora as mais comuns causas  de lesões ligamentares sejam de origem traumática (torções e rupturas), os ligamentos são comprometidos em certos tipos de artrites. A inflamação decorrente dessas doenças causa frouxidão e fragilidade dos ligamentos, favorecendo rupturas ou luxações que resultam em desvios  e deformidades articulares.

 

6- Cápsula articular (ou cápsula sinovial)

Corresponde ao conjunto de fibras firmes e flexíveis que, juntamente com os ligamentos compõe o arcabouço que mantém ossos unidos na articulação.

Assim como os ligamentos, a cápsula sinovial t,ambém se inflama nos processos artríticos. Como a cápsula envolve todo o entorno articular, ela acaba formando uma cavidade em seu interior onde encontramos o espaço articular, a membrana sinovial, o líquido sinovial as faces articulares dos ossos.

 

6.a – Membrana sinovial (sinóvia)

Revestindo a cápsula articular por dentro, a sinóvia, por ser muito vascularizada, tem a importante função de nutrir as estruturas intra-articulares. Ela produz um líquido (chamado sinovial) de onde a cartilagem (não vascularizada) recebe oxigênio e outros nutrientes.

Justamente por ser muito vascularizada, a membrana sinovial é o principal local envolvido nas artrites autoimunes pois é onde mais se acumulam os anticorpos e demais substâncias pró-inflamatórias envolvidas nessas doenças. A sinovite resultante desse processo de agressão é o que dá o aspecto “borrachóide” visto nas juntas acometidas pela artrite reumatóide, por exemplo.

 

6.b. – Líquido sinovial

Naturalmente formado pela sinóvia, tem sua produção aumentada nos processos inflamatórios articulares contribuindo para o “inchaço” nas juntas.

Confinado dentro da cápsula articular, acaba por distendê-la causando muita dor. Nessa situação, o médico pode realizar uma artrocentese, ou seja, uma punção para remover este excesso de líquido, aliviando a dor do paciente.

 

6.c. – Cartilagem articular

A cartilagem articular é a superfície lisa, resistente e de aspecto nacarado (como uma pérola) que faz o contato de um osso com o outro. A perfeição dessa superfície, sem irregularidades é necessária para que um osso consiga deslizar sobre o outro.

É o local primordialmente afetado na artrose, onde ocorre uma degeneração desta superfície tornando-a irregular e deformada e nos casos mais extremos prejudicando a função articular.

 

Espero que tenha gostado deste conteúdo e que tenha sido esclarecedor para você!

Se você acha que pode ser interessante para alguém, sinta-se á vontade em compartilhá-lo.

Caso queira saber mais sobre os tipos de articulações, basta clicar aqui.

Até o próximo texto!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp