Unlock Layer

Articulação: o que é isso afinal de contas? – Parte 2

O que é uma articulação não é novidade para a maioria das pessoas e possivelmente também não deve ser para você.

Ainda que alguns tipo de juntas sejam imóveis ou praticamente imóveis como no crânio e na coluna respectivamente, é bem sabido que uma articulação é a parte que une dois ossos e que permitem que ambos movimentem-se entre si.

Dessa forma, podemos dizer que justamente por permitirem este movimento entre duas partes, cada junta no nosso corpo funciona como uma pequena e simples máquina mecânica!

Abaixo listo os tipos de articulações móveis com seus respectivos exemplos:

1- Articulação tipo “Bola e soquete” (ou esferóidea):

Assim como o ovo no ninho, a cabeça do fêmur se acomoda na cavidade do osso do quadril, o acetábulo.

Assim como um ovo no ninho, ela corresponde a uma esfera dentro de uma superfície côncava. Isso permite movimentos multiaxiais: girar quase 360 graus, fletir, extender, abduzir e aduzir o membro. Associando todos esses movimentos é capaz de posicionar o membro de diversas formas. São sem dúvida, as articulações de maior amplitude de movimento. Representam este grupo o ombro e o quadril.

2- Articulação “Condilar” (ou elipsóide):

Neste tipo de junta, são permitidos movimentos biaxiais (flexão e extensão) além da circundação. Enquadram-se neste tipo os punhos e as metacarpofalangeanas (bases dos dedos das mãos).

 

3- Articulação tipo “Dobradiça” (ou gínglimo):

Já imaginou que você teria algo em comum com uma dobradiça de porta?

São representadas pelos articulações interfalangeanas dos dedos das mãos e dos pés, metatarsos (base dos dedos dos pés), joelhos e cotovelos. Assim como a dobradiça de uma porta, permitem apenas movimentos em um único eixo, ou seja apenas a extensão e a flexão do membro.

4- Articulação tipo “Sela”:

Semelhante á condilar, permitem movimentos biaxiais mas sem a circundação, dessa forma, tem uma limitação maior no movimento. Exemplo: base do polegar.

 

5- Articulação tipo “Pivô”:

Todo pivô corresponde a uma peça que gira sobre outra para mudar uma determinada posição. Temos dois pivôs naturais no nosso corpo: As articulações atlânto-axial (entre a primeira e segunda vértebras da coluna cervical) e a radio-ulnar proximal (dentro do cotovelo).

 

6- Articulação tipo “Plana”:

Neste tipo, os ossos movimenta-se entre si minimamente por deslizamento. Praticamente não se movem.  Exemplo: ossos do dorso dos pés (metetarso).

 

Veja abaixo um diagrama como os nossos principais tipo de articulação móvel e suas localizações.

Confira neste texto, como a articulação é por dentro, a sua nutrição, seus principais componentes e como funcionam.

Se você gostou do conteúdo e acha que pode ser interessante para alguém, sinta-se á vontade em compartilhá-lo.

Até o próximo texto.

 

     

 

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp